domingo , 20 agosto 2017
Últimas Notícias

Mundo

O homem que tem ossos mais fortes que o granito

Tim
Image captionTudo começou com um episódio de paralisia facial

“Eu tenho uma aparência diferente, sim”, admite Tim. Isso porque ele guarda consigo um segredo: “Tenho ossos superfortes”, diz.

Tim tem uma condição que faz com que seus ossos sejam 150% mais densos que o granito. A doença só foi descoberta quando ele tinha por volta de dois anos de idade – tudo começou com um episódio de paralisia facial.

“Meu pai conta que um dia eu entrei no carro sorrindo, mas só com metade do rosto. Eles pensaram que eu estava brincando”, conta.

Mas a paralisia nunca desapareceu.

Amadurecimento dos ossos

Tim
Image captionA doença de Tim contribuiu para que o tratamento de outra doença, mais comum, fosse desenvolvido

O esqueleto é uma das partes do nosso organismo que mais demoram a se desenvolver até chegar à fase adulta.

Ao nascer, nossos ossos estão muito distantes da fase madura. Com o tempo, o corpo passa por um processo de ossificação, por meio do qual a cartilagem vira osso.

Para a maioria de nós, esse processo está completo quando chegamos aos 25 anos de idade, segundo a médica Gabriel Weston, apresentadora da série de TV Incredible Medicine: Doctor Weston’s Casebook (“Medicina incrível: a coletânea de casos do Dr. Weston”), da BBC.

Mas para algumas pessoas, como Tim, esse processo acabou distorcido. E esse estranho caso pode ajudar os médicos a encontrar respostas para outros males mais comuns.

Pressão sobre o cérebro

Tim, em uma foto da sua adolescência
Image captionTim teve de passar por operação no crânio para aliviar a pressão sobre o cérebro

Os médicos fizeram radiografias e concluíram que Tim tinha uma doença extremamente rara, que só atinge outras 50 pessoas em todo o mundo.

“Eu tenho esclerosteose, uma condição caracterizada por ter uma densidade óssea excessiva”, diz.

Ainda que não pareça algo necessariamente ruim, essa doença colocou a vida de Tim em perigo.

Quando pequeno, seu crânio começou a crescer com tamanha espessura que passou a pressionar seu cérebro e nervos cranianos.

Essa pressão intracraniana pode causar paralisia facial e até a morte. Para aliviá-la, os médicos tiveram que cortar o crânio, tirar uma parte do osso, lixá-lo e colocá-lo de volta, explica Tim à BBC.

Assim, “imediatamente há mais espaço para o cérebro”.

Sem cura

Os médicos poderiam tratar Tim para aliviar os sintomas causados pelo excesso de osso, mas nada explicaria por que eles cresciam mais do que o normal em seu corpo.

Sua condição é tão rara que foi alvo de inúmeras investigações médicas.

Mas o caso também chamou atenção de cientistas que estudam um problema ósseo muito mais comum: a osteoporose.

É como se a doença estivesse no extremo oposto do que acontece com Tim: é a perda da densidade dos ossos, que deixa as pessoas mais frágeis.

Alastair Henry
Image captionMédicos como Alastair Henry investigaram por anos a doença que afeta Tim

O médico Alastair Henry é um biólogo que faz parte de uma equipe que investiga a osteoporose.

Em um paciente com esclerosteose como Tim, explica, “a arquitetura, a estrutura tridimensional dos ossos é normal, mas muito mais densa”.

Seu time tenta entender o que faz com que pessoas como ele desenvolvam ossos tão fortes.

Depois de examinar os genes conhecidos por controlar o crescimento dos ossos, eles descobriram um erro em um gene específico chamado SOST, que estimula a produção de uma proteína chamada esclerostina.

Essa substância é responsável por avisar ao osso quando ele deve parar de crescer. No corpo de Tim, ela não funciona.

“Os pacientes com esclerosteose que tem uma mutação no gene SOST nunca produzem esclerostina”, explica Henry.

Sem essa proteína, o corpo de Tim não sabe quando deve interromper o crescimento do osso, e assim ele continua sendo produzido.

Uma ideia e uma viagem ao espaço

Essa particularidade deu a Henry e sua equipe uma ideia para uma nova possibilidade para tratar a osteoporose.

“Quando identificamos que a esclerostina é a proteína que controla a densidade do osso, o que queríamos fazer é neutralizar seu efeito. Se conseguirmos, estaríamos deixando de frear o processo de construção contínua de osso”, disse Henry.

Com esse propósito, sua equipe trabalhou durante vários anos no desenvolvimento de um novo tratamento para tratar a osteoporose.

E quando chegou a hora de colocá-la em prova, foi apresentada aos médicos uma oportunidade única.

Tim
Image captionAgora Tim sabe mais sobre sua doença

Em 2010, o ônibus espacial Atlantis partiu com quatro astronautas a bordo – eles podem perder até 30% de sua densidade óssea durante uma estadia de seis meses no espaço.

E a Nasa, a agência espacial americana, tinha interesse em explorar como deter essa perda.

Assim, concordou em levar a bordo alguns pequenos passageiros adicionais: 12 ratos.

Metade deles recebeu uma versão do novo tratamento e, depois de 13 dias, a densidade de seus ossos havia aumentado. Enquanto isso, os ossos dos outros seis ratos ficaram debilitados, um indício de que o tratamento funcionou com os roedores.

No momento, os cientistas estão testando o tratamento com humanos em clínicas.

Agora, Tim tem mais respostas sobre sua doença e os milhões de pessoas que sofrem de osteoporose podem ter esperança nesse novo tratamento.

“É realmente incrível e para mim é uma notícia fantástica. Isso faz com que tudo que passamos, todas as operações, tudo que meus pais sofreram, tenha valido a pena”, diz ele.

 

Fonte/BBC

Tamanho de mochilas escolares entregues a alunos de creches por prefeitura na BA vira piada na internet

Prefeitura de Jequié, na região sudoeste, entregou utensílios que têm quase o mesmo tamanho de alunos da creche municipal.

Prefeitura de Jequié, na região sudoeste, entregou mochilas que tem quase o mesmo tamanho de alunos da creche municipal (Foto: Reprodução/Facebook) (Foto: Reprodução/Facebook)

O tamanho de mochilas escolares distribuídas a alunos do ensino municipal pela prefeitura de Jequié, localizada na região sudoeste da Bahia, virou piada na internet. Isso porque tanto os alunos dos últimos anos do ensino fundamental 2 como os das creches da cidade, com idades até seis anos, receberam mochilas padronizadas com o mesmo tamanho. Para os estudantes menores, a mochila é muito grande, e os pequenos chegam a caber dentro do utensílio.

Conforme a prefeitura de Jequié, a Secretaria de Educação da cidade deu início à entrega de kits escolares na última sexta-feira (5) aos quase 18 mil alunos da rede pública de ensino. Além das mochilas, os kits contêm camisetas e uma espécie de pochete para que os alunos possam guardar materiais como lápis, canetas e borrachas. As camisetas, no entanto, têm o tamanho de acordo com a idade dos alunos.

O único problema mesmo é o tamanho das mochilas. Nas redes sociais, vários internautas compartilharam uma foto que mostra alguns alunos da creche usando o utensílio, cujo tamanho chega a ser quase igual à altura dos estudantes. Outra imagem mostra uma criança dentro de uma das mochilas.

“Muito maior que a minha mochila de viagem”, postou uma internauta no Facebook sobre a situação na Bahia. “Gostei. Dá para usar até para viagem, para ir embora”, publicou outro usuário da rede social. “É para durar até a faculdade”, escreveu outro internauta.

Prefeitura de Jequié, na região sudoeste, entregou utensílios que tem quase o mesmo tamanho de alunos da creche municipal (Foto: Reprodução/Facebook) (Foto: Reprodução/Facebook)

Em nota enviada a nossa equipe a Secretaria de Educação de Jequié informou que as mochilas distribuídas foram licitadas antes do término das matrículas e, por isso, tiveram que ser padronizadas. A assessoria de comunicação da prefeitura informou, por telefone, que inicialmente não estava prevista a distribuição dos kits para as crianças pequenas da creche, mas professores, diretores e a própria secretaria se reuniram e decidiram fazer a entrega também para os alunos menores.

Na nota, a secretaria afirma que tomou a atitude de também distribuir as mochilas para os alunos das creches para evitar qualquer tipo de discriminação, principalmente com as crianças menores, “prevalecendo assim o cuidado e a satisfação em ver a alegria das crianças e da família ao receberem as mochilas”.

A Secretaria de Educação ainda afirma que entende que “deve prevalecer o bom senso de todos os envolvidos na utilização dos materiais distribuídos, cabendo principalmente aos pais ou responsáveis utilizarem as mochilas para transporte do material das crianças, lembrando ainda que o Ministério da Saúde recomenda que o peso transportado pelo aluno não ultrapasse em mais de 10% do peso da criança”, disse, em nota, o secretário de Educação Roberto Gondim.

Prefeitura de Jequié, na região sudoeste, entregou utensílios que tem quase o mesmo tamanho de alunos da creche municipal (Foto: Divulgação/Prefeitura de Jequié) (Foto: Divulgação/Prefeitura de Jequié)
Fonte/G1

Realidade virtual distrai crianças na hora da injeção ao ponto delas não perceberem a picada

O medo e o choro dão lugar à diversão e ao entretenimento em campanha realizada pelos laboratórios Hermes Pardini.

Realidade virtual distrai crianças na hora da injeção

O resultado da ação é que a maioria das crianças acaba se divertindo. Elas encaram a dor da vacina com satisfação, já que fizeram algo grandioso, típico de um super-herói ou super-heroína. Ainda em fase de testes, a previsão é que a campanha seja replicada nos laboratórios do Hermes Pardini de São Paulo, Minas Gerais e Goiânia, no mês de junho.

O VP nacional de criação da Ogilvy Brasil, Cláudio Lima, vê a realidade aumentada como “uma utilidade prática, que resolve um problema e cria uma oportunidade de negócio para o cliente”. Já a coordenadora de vacinas do Hermes Pardini afirma que a tecnologia trará conforto para as crianças, os pais e os profissionais na vacinação dos pequenos.

É a primeira vez em 15 anos da minha atuação profissional com vacinas que vejo o medi sendo transformado em entretenimento graças à realidade virtual. É sem dúvida uma tecnologia que vai trazer conforto para as crianças, os pais e os profissionais”, afirma Melissa Palmieri.

Confira o vídeo da campanha:

 

Todas as imagens: Reprodução/Hermes Pardini

Fonte/Terra

Estado Islâmico divulga vídeo de suposta decapitação de agente russo na Síria

Identidade da vítima e autenticidade de imagens ainda não foram confirmadas. Rússia apoia regime do presidente sírio Bashar al-Assad, e vídeo exibe cenas de bombardeios russos no país.

Trecho de vídeo com suposta decapitação de russo por integrante do Estado Islâmico (Foto: Reprodução/SITE)

Trecho de vídeo com suposta decapitação de russo por integrante do Estado Islâmico (Foto: Reprodução/SITE)

O Estado Islâmico divulgou um vídeo que mostra a decapitação do que descreveu como um agente de inteligência da Rússia capturado na Síria, relatou nesta terça-feira (9) o site de monitoramento SITE, sediado nos Estados Unidos.

O Ministério da Defesa russo e o serviço de segurança FSB não estavam disponíveis para comentar de imediato à Reuters, mas um senador russo disse que os militantes “irão pagar no inferno” se a gravação for comprovada como autêntica. À agências russas, o ministério afirmou que a informação é falsa, e que nenhum agente russo foi capturado e morto.

O vídeo de 12 minutos narrado em russo, divulgado no dia em que a Rússia comemora o aniversário da vitória sobre a Alemanha nazista em 1945 com paradas militares, mostrou o homem vestido com um macacão preto de joelhos em uma paisagem desértica e incentivando outros agentes russos a se renderem.

“Este idiota acreditou nas promessas de seu Estado de não abandoná-lo se fosse capturado”, diz um narrador na gravação, antes de um homem barbado o decapitá-lo com uma faca.

A autenticidade da filmagem e a identidade da vítima não puderam ser verificadas de imediato, e tampouco ficou claro quando o assassinato ocorreu.

Forças da Rússia estão apoiando o presidente sírio, Bashar al-Assad, em sua guerra contra rebeldes e militantes que tentam derrubá-lo. O vídeo exibiu cenas do que descreveu como os resultados de bombardeios russos na Síria.

O Ministério da Defesa russo disse que cerca de 30 militares do país foram mortos desde o início da operação da Rússia na Síria, em setembro de 2015.

Fonte/Reuters

FAMÍLIA ABRE GALPÃO FECHADO HÁ ANOS E FAZ DESCOBERTA ASSUSTADORA

A ciência encontrou os restos fossilizados de uma ‘barbárvore’, do Senhor dos Anéis, ou se trata do espírito da natureza? Bem, nenhum dos dois. Essa visão estranha é, de fato, os restos de uma colmeia de vespas-zangão.

Quanto ao rosto assustador, a página “CountBubs” postou a imagem na plataforma Reddit há dois anos, explicando que o ninho de vespas tinha fundido a uma máscara de madeira, puramente por acaso. “O ninho foi encontrado em um antigo galpão que não usamos muito mais no quintal e ainda está lá hoje”, disse o administrador da página ao site IFLScience.

O ninho foi abandonado e, como esse tipo de vespa usa os ninhos apenas uma vez por temporada, os donos conseguiram ficar que essa obra de arte natural.

Normalmente, os ninhos de vespas são arredondados e sem muitas formas ou curvas, mas eles são incrivelmente grandes. Os maiores já encontrados têm o tamanho de uma geladeira.

Fonte/Agora News

HOMEM É COLOCADO POR ENGANDO EM CELA FEMININA E É ESTUPRADO POR 26 DETENTAS

 

Um homem de 25 anos ficou preso por cerca de 15 dias numa cela junto com 26 mulheres. O caso, ocorrido em Massachusetts, nos Estados Unidos, gerou polêmica em todo o país.

Para a delegada Brittany Moroe, que conduz a investigação sobre a responsabilidade, houve negligência por não terem investigado e dado atenção ao sexo do rapaz, “Isso demonstra que os funcionários do Governo não estão cumprindo o seu papel direito”, disse a delegada.

Roberth, o rapaz que foi mantido preso com 26 detentas, afirmou que foi abusado diversas vezes pelas mulheres e que elas se revezavam nos abusos sexuais. Ele era obrigado a manter relações sexuais 6 vezes ao dia, disse ele em entrevista. Falou ainda que ele não teve nenhuma noite de sono tranquila, pois sempre que conseguia dormir, ele era acordado no meio da madrugada para ser abusado sexualmente.

Segundo fontes da Delegacia de Polícia de Massachusetts, o preso já foi transferido para um presídio masculino e o caso será investigado.

Fonte/Intrigante

Menino morre após pai usar compressa de álcool para baixar febra. Entenda os riscos do procedimento

Álcool industrial e crianças é uma combinação que não tende a dar certo. Se para nós, adultos, o uso do forte produto já deve ser realizado com todo o cuidado, então imagine para os pequenos. A falta de atenção pode acabar resultando em uma tragédia, como a que marcou um caso ocorrido na cidade de Donnguan, China.

Para tentar controlar a febre do filho, Xiao Dong, de apenas dois anos, o pai da criança apelou para um método não muito comum. A fim de não procurar um médico e resolver o problema por conta própria, o chinês usou uma compressa de álcool nas axilas do bebê na esperança de que a temperatura baixasse.

Crying baby boy taking bath to cool down

Contudo, não tardou para que logo a “solução” se tornasse um sério problema. Dong desmaiou. Assim, finalmente, os pais resolveram levá-lo para o hospital.

No centro hospitalar, os médicos fizeram o possível para salvar a vida do garotinho, mas não houve nada que pudesse ser feito. No dia seguinte, Dong acabou falecendo devido intoxicação causada pelo metanol.

De acordo com o médico que lidou com o caso, o Dr. Ma Weike, os pais não faziam ideia de que a morte do filho foi causada por efeito do álcool – o pai usou uma dose de 1 litro para tentar diminuir a temperatura da criança. Para eles, a perda de consciência foi causada pela febre.

O professor de pediatria da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Safadi, afirma que no caso de Xiao Dong, é difícil saber com exatidão qual o tamanho da contribuição do álcool na morte do bebê, porém, ele ressalta que a prática adotada pelo pai não deve ser seguida.

“Infelizmente, ainda existem muitos pais que acreditam que a compressa de álcool baixa a febre. No entanto, é um procedimento que traz riscos e não deve ser feito. Pode causar queimaduras na pele na criança e, como o álcool é volátil, pode ser inalado e intoxicar a criança. Esses efeitos contraindicam formalmente essa prática”, afirma Safadi.

O especialista acrescenta que da mesma forma que a compressa representa um sério perigo, banhos frios com álcool também devem ser prontamente evitados, pois podem até fazer com que a febre piore e a temperatura corporal se eleve ainda mais.

“Febre não é um bicho de sete cabeças, mas caso haja necessidade de uma intervenção, até que o antitérmico aja, a mãe pode lançar mão do banho, mas um banho morno, que não gere desconforto na criança. Álcool, é bom salientar, é contraindicado e não baixa a febre”, explica o professor de pediatria.

Anne Lima, enfermeira especializada em medicina antroposófica (prática que envolve tratamentos homeopáticos, terapias físicas e arteterapia) afirma que o uso de compressas de limão nas pernas é um caminho bastante eficaz no controle da temperatura do corpo.

Para seguir a dica dada por Anne, basta realizar o seguinte procedimento:

1. Esprema o suco do limão em uma tigela ou bacia com água fria (de preferência, mantenha uma das metades do limão dentro do recipiente e esprema apenas a outra metade);2. Enrole duas toalhas de algodão (toalhas turcas) ou duas faixas como ataduras e coloque dentro do recipiente;3. Torça levemente as toalhas e as envolva nas pernas, abaixo da linha do joelho até os pés – não faça isso com os pés muito gelados, tente esquentá-los um pouco antes de proceder;4. Mantenha as toalhas – ou as faixas – até perceber, com o toque, que elas aqueceram. Isso demonstra que elas estão deslocando o calor para a região que elas devem predominar, não deixando que se espalhe pelo corpo.5. Repita o procedimento quantas vezes for necessário, lembrando sempre de renovar a água e o limão.

E lembre-se: problemas com febre? O álcool não é a melhor solução. Principalmente no que envolver uma criança.

 

Fonte/Tele Jornal Web

A história por trás da MS-13, a supergangue que gera onda de medo nos EUA após série de assassinatos brutais

Tatuagens no rosto e no peito identificam membros da gangueDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionMS-13 é uma das gangues mais temidas do mundo

Uma sequência de assassinatos brutais nos Estados Unidos voltou as atenções para a MS-13, uma gangue de rua que nasceu em Los Angeles, mas tem raízes em El Salvador.

O incidente mais recente aconteceu na segunda-feira passada: um assassinato em massa em Long Island, onde os corpos de quatro homens, incluindo três adolescentes, foram encontrados mutilados em uma floresta, de acordo com a polícia.

Pelo Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou a gangue de “perversa”.

Já o procurador-geral do país, Jeff Sessions, prometeu “dizimá-la”.

E ambos culparam a política de imigração da era Obama por sua ascensão.

Mas o que é a MS-13? E qual seria a culpa de Obama?

Extrema violência

A MS-13 surgiu nos bairros de Los Angeles durante os anos 1980, formada por imigrantes que fugiram da longa e brutal guerra civil de El Salvador. Outros membros vieram de Honduras, Guatemala e México.

MS significa ‘Mara Salvatrucha’, uma combinação das palavras Mara (“gangue”), Salva (“Salvador”) e trucha (“malandros da rua”). Já o número 13 representa a posição da letra M no alfabeto.

Gangue foi formada em Los AngelesDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionMS-13 surgiu em Los Angeles e tem raízes na América Central

A gangue ficou famosa por seus atos de violência extrema, como matar usando facões, por exemplo.

De acordo com o FBI, a polícia federal americana, a MS-13 já está presente em 46 Estados americanos.

Em 2012, o governo americano classificou a gangue como uma “organização criminosa transnacional”.

Foi a primeira gangue de rua a ser descrita dessa forma, equiparando-se, portanto, a grandes organizações criminosas internacionais, como a mexicana Zetas, a japonesa Yakuza e a italiana Camorra.

Rituais de iniciação

Segundo autoridades, a MS-13 recruta adolescentes pobres e em situação de risco.

Para entrar no grupo, dizem relatos, passa-se por uma sessão de espancamento que dura 13 segundos. Além disso, é preciso praticar um crime, frequentemente um assassinato, para a gangue.

Abandoná-la é ainda mais perigoso. Grandes tatuagens no peito marcam os membros por toda a vida, e algumas facções supostamente matam aqueles que tentam sair.

Membro do MS-13Direito de imagemGETTY IMAGES
Image captionGangue já teria 60 mil membros dentro e fora dos EUA

Em 2008, segundo estimativas do FBI, a MS-13 tinha entre 6 mil e 10 mil membros.

Mas agora já é maior fora do país. Após uma operação que reprimiu diversas gangues no fim da década de 90, parte de seus integrantes foi enviada de volta a países da América Central, onde estabeleceram ramificações do grupo.

Estudos estimam em 60 mil o número de integrantes da MS-13 na região.

E suas receitas anuais seriam da ordem de US$ 31 milhões (R$ 98 milhões), a maior parte obtida por meio do tráfico de drogas e extorsão.

“Mate, estupre, controle”

Casos emblemáticos ligados recentemente à gangue incluem o assassinato de duas estudantes de Ensino Médio.

Elas foram atacadas com um facão e um taco de beisebol quando atravessavam um bairro em Nova York no mês passado.

O ataque teria sido motivado por vingança, informou a polícia. Quatro supostos membros da MS-13 foram indiciados pelo crime.

No mesmo mês, outros dois supostos integrantes da organização criminosa em Houston, no Texas, foram acusados pelo sequestro de três adolescentes.

As jovens foram mantidas reféns e estupradas antes de uma delas ter sido morta no acostamento de uma estrada.

Segundo um especialista do FBI que investiga o grupo, o lema da MS-13 é ‘matar, estuprar e controlar’.

Jeff SessionsDireito de imagemREUTERS
Image captionProcurador-geral dos EUA, Jeff Sessions culpou Obama por ascensão do MS-13

Culpa de Obama?

Trump e Sessions culparam o ex-presidente americano Barack Obama pela ascensão da MS-13, alegando que sua política de “portas abertas” para a imigração acabou impulsionando o crescimento da gangue.

Mas a organização criminosa se formou e floresceu nos Estados Unidos antes de Obama chegar ao poder.

A MS-13 havia sido identificada como uma ameaça pelas autoridades nos anos 90, e uma força-tarefa do FBI foi criada para investigar a gangue em 1994.

“O maior crescimento se deu durante a era Bush-Cheney quando cresceu a imigração ilegal da América Central. Paralelamente, o governo aumentou a repressão contra essas organizações criminosas, superlotando as prisões, ao passo que os programas de reabilitação dos presos perderam financiamento”, explicou Fulton Armstrong, pesquisador do Centro para Estudos Latino-americanos da American University, ao site Politifact.

“Não vejo por que a administração Obama tem de ser culpada pela existência ou atividades dessa gangue nos Estados Unidos”, completou Ioan Grillo, autor de um livro sobre gangues americanas.

Obama também priorizou a deportação desses criminosos, incluindo integrantes da MS-13, mediante um programa de deportação agressivo.

 

Fonte/BBC

Músico Bruce Hampton morre no palco, sem ser notado, durante apresentação nos EUA

Artista morreu enquanto comemorava seu 70º aniversário em show com amigos. Instrumentistas continuaram tocando por vários minutos.

O músico e guitarrista americano de rock Bruce Hampton morreu enquanto comemorava no palco seu 70º aniversário com um show entre amigos no Fox Theatre em Atlanta, nos Estados Unidos, sem que sua morte fosse percebida pelos demais, que continuaram tocando, informaram nesta terça-feira (2) veículos de imprensa locais.

Hampton desabou no palco com o microfone na mão enquanto a banda tocava a canção “Turn on your lovelight”, segundo a emissora “Channel 10 News”.

O fundador da banda Hampton Grease Band, formada no final dos anos 1960, permaneceu vários minutos estendido no palco enquanto os músicos que o acompanhavam continuaram tocando, aparentemente pela falsa impressão de que era apenas uma brincadeira.

Finalmente, Hampton foi atendido e levado para fora do palco, mas não foi possível fazer nada para salvar sua vida e ainda não há uma informação oficial sobre as causas de sua morte.

Chamado de “avô da cena Jam”, Hampton criou ao longo de sua longa carreira musical várias bandas, entre elas The Late Bronze Age, The Aquarium Rescue Unit, The Fiji Mariners, The Codetalkers, The Quark Alliance, Pharaoh Gummitt e Madrid Express.

Fonte/G1

Marido e mulher morrem com 40 minutos de diferença após 69 anos de casamento

Isaac e Teresa Vatkin morreram de mãos dadas num hospital nos EUA.

m casal de Illinois, nos EUA, morreu com menos de uma hora de diferença, depois de passar 69 anos junto.

Isaac Vatkin, de 91 anos, estava segurando as mãos da mulher, Teresa, de 89, enquanto ela se rendia ao Alzheimer, no sábado. Isaac morreu 40 minutos depois, de causa não revelada.

As informações são do jornal americano Daily Herald. Parentes do casal disseram se sentir melhor ao saber que eles ficaram juntos até o fim. Isaac e Teresa também foram enterrados juntos.

“Eu não quis vê-los ir embora. Mas não poderia pedir nada mais”, disse o neto William Vatkin.

Os Vatkins ficaram juntos por 69 anos  (Foto: Arquivo pessoal/ BBC)

Os Vatkins ficaram juntos por 69 anos (Foto: Arquivo pessoal/ BBC)

Clara Gesklin, filha do casal, disse que eles não podiam viver um sem o outro.

No sábado, funcionários do hospital encontraram os dois, que estavam em quartos separados, respirando com dificuldade e decidiram, então, colocar as camas lado a lado. Os familiares fizeram com que eles ficassem de mãos dadas.

O casal se conheceu na Argentina. Após o casamento, se mudaram para Skoikie, um subúrbio de Chicago, nos EUA. Tiveram três filhos e sempre mantiveram relação próxima com os netos.

Isaac era distribuidor de carne kosher e Teresa era dona de casa e manicure.

Fonte/G1